Prestenção: Leo Middea - Vicentina

resenha por: Roma

Vicentina
Leo Middea
Ano: 2020
Selo: Independente
Auge: Sorrindo Pra Saudade, Romances


Leo Middea é um músico carioca que iniciou sua carreira em 2014 e chega neste ano ao seu terceiro trabalho de estúdio. Trazendo composições ensolaradas mas que falam de momentos íntimos do artista, o álbum leva os sons brasileiros a um passeio pela Europa de Praga e Lisboa, duas cidades chave no processo criativo de Vicentina.

Ao longo de 2018, vivendo na capital da República Tcheca o jovem de 24 anos pensava muito em abandonar sua carreira na música por constantemente estar rodeado de sentimentos de solidão. E foi da fossa que Léo em um dia de andanças sem rumo voltou a notar as mais de cem músicas escritas em seu celular.

Foi então que ao som da primeira versão de Rua Augusta 7, uma das faixas do álbum, Middea entrou em contato com seu amigo e produtor Paulo Novaes e em conjunto chegaram ao consenso de 12 músicas que foram gravadas em Lisboa e estruturam todo o encorajamento da volta a carreira musical que Leo precisava.

Embora o clima do álbum seja um tanto alegre, as suas composições dizem muito sobre saudades e solidão dos momentos vividos na Europa. São em letras como a de Sorrindo Pra Saudade onde se diz "Eu vou sair pra ser presença/ Tua cara diz que tudo é ausência [...] Perdoa amor/ mas eu segui o meu tarot/ Na verdade eu só me amei demais/ mais do que você me amou" que é possível notar que o álbum parece aquela sua amiga conselheira que te tira da bad e faz você enxergar um solzinho na vida.

Aos quatro anos de idade Leo ouviu de Vicentina, amiga de sua avó e homenageada no nome do álbum, que se tornaria cantor ao crescer, e é somando a frase marcante com as forças de suas composições e a ajuda de Paulo Novaes que a música brasileira começa seu ano com uma obra potente.

Vicentina é uma resposta contrária a bad europeia do músico. A mescla do mais puro som brasileiro que flui entre o samba, a bossa nova e a MPB clássica com um toque de sons do antigo mundo.